sexta-feira, 22 de agosto de 2014

A COLEÇÃO DE PERFUMES DA VÂNIA MARTINS

8 comentários:
Brinco que ela é uma das minhas "manas lôras". Conheço Vaninha pessoalmente e temos muitas histórias de vida vividas juntas. Horas de alegria e de tristeza. De nascimentos e de adeus. Vida mesmo. Ela é toda estilosa e linda, mas por incrível que possa parecer... já havia sentido, mas nunca visto seus frascos de perfumes. Conversa vai conversa vem...ela topou abrir seu cantinho cheiroso e compartilhar conosco sua História e sua Coleção de Perfumes.

Com vocês, Vaninha:

Olá povo cheiroso do Village Beauté!!
Bem, sou estreante por aqui, mas, me simpatizo com O Village Beauté  desde seus primeiros dias de vida ( rs ). Gosto do blog  porque aprecio a sensibilidade  das palavras, o  olfato apurado, o fino trato dispensado nas resenhas !! Dâmaris  dá a eles o olhar e cuidado merecido!! E o delicioso é que não é apenas um cuidado técnico, cuja preocupação esteja somente com as notas olfativas. É um precioso jeito de dar vida ao que “sentimos”!!
Sou uma apaixonada por  “cheiros” desde sempre!! Penso que nosso cheiro diz muito  sobre quem somos!
E quem sou eu? Sou Vânia, nascida no interior  de uma cidadezinha litorânea de SC ( Jaguaruna) , que se acostumou  com o perfume da vida desde muito cedo!!.  O cheiro da grama molhada, dos animais no campo, das flores no jardim, das frutas nas árvores, tudo aguçava este precioso sentido: o olfato!

O café novinho  acordava meu olfato ; o  milho cozido e  a  pamonha  acordavam meu paladar! Era o café da manhã no campo, nas primeiras horas do dia!! É de lá que vêm minhas primeiras memórias olfativas!!
Lembro-me  que sempre quis ter um perfume só meu, mas, era missão quase impossível pois tudo era dividido com minhas duas outras irmãs solteiras. Por ser a caçula, nem sempre podia usar o perfume que minha mãe comprava para as três. Minha irmã mais velha dizia que “eu era criança demais para usá-lo”. Como eu queria ter um “cheiro” só meu, o jeito foi pedir pra minha mãe  me deixar  ter um xampu “ SÓ MEU” . Lembro-me do dia  como se fosse hoje!! Eu tinha 14 anos quando tive meu xampu (perfume) de limão.  Tomava banho  e usava-o como se fosse meu perfume, meu cheiro, minha particularidade. Guardava-o no meu quarto!
Um pouco mais crescida, trabalhando e tendo meu próprio dinheiro, pude então comprar meu primeiro perfume (brasileiro)!! Quando fui ao Boticário pela primeira vez fiquei completamente eufórica!!! Queria tudo pra mim!! (rs), cada hidratante, cada perfume, cada xampu... fiquei enlouquecida e saí de lá com um perfume que se conectou  ao meu olfato e ao meu orçamento J! Levei o Innamorata. Achava ele quente!! Cheiro de paixão de adolescente!!
perfume o boticário descontinuado

Sempre que podia, comprava alguns perfumes, sempre os brasileiros, pois os importados eram caros demais para os meus primeiros salários!!! Quando tive meu primeiro importado, o Gabriela Sabatine, pirei!!! Sentia-me uma estrela!! Meu segundo importado foi o  Lou Lou ,  Fortíssimooooo!!! O Cheiro chegava antes de mim!!! Rs!!. Usei um frasco e nunca mais o quis!! Um único já era o suficiente!
Pela minha vida já passaram, Narcisse, Animale, Euphoria, Jean Paul Gaultier, Laguna, Dolce&Gabbana...


São gostosas as sensações que as fragrâncias  produzem em mim! Eu não entendo  nada sobre suas notas, mas sei  o que elas produzem em minha pele, em meu corpo, em minha alma...
 Minha história olfativa é cheia de sensações, sentimentos, mas de pouco conhecimento sobre “ Como é o perfume que uso, qual sua história? Em que ou em quem foi inspirado?” .  O que me inspira a tê-lo é o que ele produz em mim quando o vejo, quando o  compro, quando o  sinto. Por isso, tenho procurado conhecê-los  melhor através  do Village Beauté. Sempre que posso, passo por aqui e dou aquela espiadinha .
Na última compra que fiz, ao olhar para o Angel , perfume que usei anos  atrás , tive um momento nostálgico. Olhei para aquela estrela brilhante e pronto, lá estava ele na minha bolsa !! Quando fui usá-lo, descobri que estava com mais saudades do frasco que do cheiro. Esqueci que as fragrâncias também representam os ciclos de nossas vidas!!  Meu ciclo é outro!!
Neste novo ciclo da minha vida, estou querendo descobrir novos cheiros, provocar novas sensações !!! Meus perfumes representam este momento meu!! Estou descobrindo-os em mim!!!!! E isto,  é perfumado demais!! Só estou preocupada com os recursos financeiros para as novas descobertas,(rs),pois estou com uma listinha de perfumes sugeridos pelo Village Beauté  e ansiosa por comprá-los em breveJ !
Quando visito o Village Beauté, sinto-me inspirada a usar  meus perfumes de um jeito mais sóbrio, mais conectado comigo, observar melhor quais são as sensações que eles causam em mim e em quem  está a minha volta!
 Em minha  pequena coleção ,  tenho aqueles que amo desde que os conheci, tal como, CH ,  Miss Dior  e o insubstituível para o inverno, Secret Obsession; aqueles que gosto como: Fantasy e Moschino (Light Clouds);  aqueles que descobri e estou amando senti-los como Leau de Chloé e o Presence. Aquele que comprei por engano e estou aprendendo a gostar dele,  como o  Femme Individuelle. E por fim,  o Angel, que representa meu momento nostálgico!!
Bem esta é a minha história com perfumes!!
“Beijos perfumados” a todos (as)!!
VANINHA NO VILLAGE BEAUTÉ

Estes são os da Mont Blanc.  Presence e Femme Individuelle. Minha idéia era comprar o Femme de Mont Blanc, mas, uma distração me fez trazer pra casa o Femme Individuelle. Hoje estou mais acostumada com ele!!

coleção de perfumes
Perfumes Mont Blanc da Vaninha

Estes, são os que menos uso!


perfumes da vania martins
Perfumes Angel, Fantasy e Light Clouds

E aqui, os meus preciosos!!! Amooo!!
perfume collection
Perfumes L`eau Chloé, CH, Miss Dior, Secret Obsession


Vaninha, do estilo impecável, do olhar poético a tudo e coração amoroso: obrigada por compartilhar seus tesouros perfumados conosco! Que saudades tenho do Inamoratta, um floral marcante que O Boticário tirou de linha. Concordo contigo: como o perfume acaba se tornando algo tão íntimo, não é? Ao ponto de compôr com a nossa história e marcar um ciclo tão fortemente. O cheiro da adolescência, da idade adulta, do trabalho, faculdade ...

Boas descobertas olfativas a ti, "mana lôra", que sempre lhe seja prazeroso. Abraços perfumados com carinho.

E seguimos apreciando essa arte silenciosa e íntima... Os Perfumes.

abraços carinhosos e sempre perfumados a tod@s.

Para passear entre histórias e frascos:

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

RESENHA FORBIDDEN AFFAIR DE ANNA SUI, EDT POR SANDRA RODRIGUES

6 comentários:
Quinta-feira é um dos dias em que comentaristas compartilham suas descobertas e prazeres olfativos. A resenha de hoje é especial, pois veio lá de Portugal. Pouco a pouco os ponteiros das estatísticas mostram que nossa vila está recebendo os perfumados que vivem do lado de lá. Sejam bem-vindos todos, fiquem à vontade para comentar e interagir. Temos muito em comum, e será sempre um prazer conversarmos mais e mais.

Com vocês, a Resenha do Forbidden Affair Eau de Toilette da maison Anna Sui, por Sandra:
FORBIDDEN AFFAIR DE ANNA SUI EAU DE TOILETTE


Forbidden Affair by Anna Sui (2010)
Romã no seu melhor
Eis a pirâmide deste floral frutal, mais frutal do que floral.

  • Topo: limão amalfi, groselha preta e groselha vermelha
  • Meio: rosa, framboesa, romã
  • Vase: musk, cedro da Virgínia, violeta

Nove notas indicadas para um EDT de nota nove em dez, se não fosse a longevidade e a projeção que deixam a desejar... bem, a minha pele é suspeita, absorve tudo e não mostra quase nada, nem com creme (no caso até é o pomegranate by Caswell Massey) para segurar mais o aroma ela funciona melhor, oh tristeza minha!
Mas para o meu quesito perfumes de romã, está muito, muito bem. Não chega a ser doce, é antes adocicado, oscila entre uma romã polvilhada levemente com açúcar e o azedinho de quando trincamos os pedacinhos da fruta, que para mim é o que predomina durante toda a evolução do perfume. Diz-se que nesta criação foi utilizada a tecnologia ciclodextrina, isto é, para que as notas de topo emerjam uma e outra vez, renovando a sensação de frescura. Sinceramente, não me parece que o meu nariz seja suficientemente refinado para detetar tal subtileza, mas o perfume é delicioso. Algo juvenil, não deixará ficar mal qualquer avó, que eu cá não suporto a associação de cheiro de avó com aqueles talcos empoados com cheiro de gaveta de coisas velhas.
Avó tem que cheirar bem e confortável, como mãe e menina o tem. A questão é que associamos perfume pesado ou muito atalcado com pessoas mais velhas, talvez porque fosse essa a tendência na época em que o perfume começou a ser peça importante no armário de qualquer mulher, ou porque associamos, injustamente, idade avançada a cheiro de coisa velha. Não gosto de cheiros de maquilhagem no fundo de saco escondido em lugar húmido, nem de flores esquecidas em água por mudar, nem de roupas empoadas com colónia rançosa para disfarçar. Que me desculpem os amantes de tais odores, mas por qualquer associação questionável torço o nariz enquanto escrevo e recordo Flower by Kenzo e todas as similaridades, Madness by Chopard, Chanel no 19, L’air du temps by Nina Ricci e por aí vai.
Como nota final, ressalto que vale a pena conhecer a coleção de lindos frascos que Anna Sui nos tem proporcionado.


Sandra,

já lhe disse, mas faço questão de repetir! Agradeço você ter aberto as portas da comunicação entre nós. A escrita do blog por vezes é solitária, e quando e-mail, comentários e recados chegam - tudo começa a fazer sentido. Vários portugueses visitam blog, mas você e a Kátia são as únicas pessoas que tomaram a coragem para escrever... e lhes agradeço muito por isso. Fique sempre à vontade para trazer aqui a nossa vila, as descobertas de perfumes que aqui no Brasil não temos. Pouco conheço desta marca, infelizmente.

Bom conhecer mais um estilo de perfume; assim como você não gosto dos comentários que associam "cheiro de vovó" a odores desagradáveis. Bem que as pessoas poderiam descrever cheiros sem quaisquer conotações ferinas; as sensações atalcadas dialogam com as nossas lembranças daquelas pessoas que são sinônimo de mimo e aconchego para mim e para muitos, não é?
O uso da sensação "talco" nos perfumes já foi intensa, e está retornando com força, como um exercício de resistência à outras tendências que beiram à exaustão. Recorro a este tipo de perfume quando o meu corpo pede uma certa elegância sóbria e tranquila.

ANNA SUI FORBIDDEN AFFAIR

E não apenas os portugueses, mas todos vocês, querid@s meus, fiquem sempre à vontade para participar, sim? Mostrar as coleções, propôr sugestões, falar de um perfume que comprou e deve ser mostrado a todos... participe. Gosto de escrever, mas ainda mais quando vocês falam comigo. ;) 

E mais uma vez vemos, na perfumaria, as frutas vermelhas associadas ao conceito de sedução... o "caso proibido" é todo amparado neste conceito, observaram? Romã, framboesa, groselha e a tal da violeta, cujo cheiro doce lembra o de balas açucaradas. ;)

Vocês concordam com este conceito olfativo?
Abraços perfumados.

Para quem não viu, não perca as ricas produções de outros comentaristas e leitores do VB:

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

RESENHA ESPRIT D`OSCAR, OSCAR DE LA RENTA EAU DE PARFUM

16 comentários:
Os atuais tempos da perfumaria são fortemente marcados pelas guloseimas e bebidinhas? Sim, mas não agrada a todos. Um outro estilo parece fazer o caminho inverso. Cansados da glutonaria olfativa, alguns apaixonados por perfumes retornam ao passado, em busca de alguns elementos que marcaram outras épocas. Usar o perfume dos avós? Sim, por quê não? Mas ... e se reinventarmos o perfume de nossos antepassados? Pronto. Dior, Guerlain, Cartier, e tantas outras casas curvam-se aos perfumes clássicos, banham-se em suas inspirações, mas os trazem aos tempos atuais envolvendo-os em novas notas.

Passado e presente juntos. Esprit D`Oscar, 2011, é assim.

ESPRIT D`OSCAR REVIEW
Frasco imponente, todo com as formas da violette odorante

O frasco é luxuoso e pesado. Da tampa ao corpo - eles têm os contornos da principal flor deste perfume: Viola Odorata, uma espécie de violeta, também conhecida como Sweet Violet, na Inglaterra, ou Violette Odorante, n França. Frasco e tampa como escultura da violeta que exala intenso e doce perfume.

RESENHA DO PERFUME ESPRIT D´OSCAR
Pesado, clássico e luxuoso frasco.

Esprit D`Oscar bem poderia se chamar Ode à la Violette, tamanha a presença dessa essência, que creio ser muito natural, pois críticos afirmam que a versão sintética é verde e metálica, fatos que não ocorrem neste perfume. A quem possa interessar, destaco que especialistas em aromaterapia e homeopatia falam das propriedades da essência de violette odorante, e afirmam estar presente em antigas receitas de poções afrodisíacas.

De todos os perfumes que já pude conhecer, este é o que tem cheiro da violeta doce mais intenso. Doce e gourmand apenas em sua saída, como uma jujuba de festa infantil. Só? Não...E dura o tempo todo da evolução? Não e... ainda bem, pois meu nariz anda saturado com a overdose de violetas, afinal ela está na "moda".

Voltando ao Esprit D`Oscar:


Véus de talco caem sobre o corpo. Atalcado com gotas de cidra efervescente, íris e óleo de violeta doce, bala de violeta. Tal flor evolui do gourmand protagonista do início para um coadjuvante doce ao longo das próximas horas. Os perfumistas Ann Gottlieb e Frank Voelkl não afirmaram, mas... creio terem deixado cair umas gotinhas de alcaçúz doce aqui. Projeção intensa confere ótimo rastro a este perfume fortalecendo ainda mais a metáfora do véu a te envolver. 

Vintage e muito confortável.

Essa sensação de pó ganha calor como se o contato com a pele provocasse uma reação no perfume e ele mudasse de estrutura.  Sob o movimento e aquecimento do corpo com o passar das horas, Esprit D`Oscar torna-se ainda mais vintage, creio ser o heliotrópio, nota que veio ao mundo com a missão de ser cálido e confortável. Não podemos nos desvencilhar deste abraço, ele nos prende a partir daí até o final das 10 horas da aromatização da pele. Sim, tem longa fixação. Flor de laranjeira, sempre tão romântica, uma gota de vetiver para trazer um pouco à terra.

Depois de muitas horas, já perto do amanhecer do dia, Esprit D`Oscar adormece mantendo íris, heliotrópio e trazendo aquela sensação de pele limpa, mas com discretos toques de baunilha. Se você tiver paciência para esperar a evolução deste perfume, terá uma experiência muito sensual a partir das 5 horas de Esprit D`Oscar sobre a pele. 


ESPRIT D`OSCAR REVIEW
Esprit D`Oscar


Notas oficiais divulgadas:

  • Tangerina, limão, cidra
  • jasmim, flor de laranjeira da África, tuberosa, violeta, íris,
  • heliotrópio, almíscar, fava tonka, vetiver, ambargris

    • Projeção: intensa
    • Fixação: a partir de 10 horas
    • Composição: muito rica e bem feita, perfume concentrado. Honra ser Eau de Parfum
    • Sugestão de uso: temperaturas amenas. Impossível usar essa composição marcante de violeta, íris e heliotrópio no verão. Sem chance! 
    • Evolução: artística. Vale à pena manter o nariz sobre a pele e ir degustando esse perfume hora a hora.
    • Quem gostará? Vejo uma relação estreita entre este perfume e os perfumes Lolita Lempicka (o aspecto doce do alcaçus, anis e violeta), My Insolence (por conta da violeta com talco), Chanel 5 Eau Première (vínculo do vintage com o contemporâneo, das flores com heliotrópio). Há quem o relacione com L`Heure Bleue, testei mas nada vi em comum. 

Abraços perfumados... mas antes:

Gostam de perfumes atalcados? Eles provocam uma sensação tão boa de abraço e aconchego, não é?

Obs.: aqueci as fotos na edição para dar o sentido que desejava. O líquido real tem cor mais suave e menos ambarado.

Veja também:

sábado, 16 de agosto de 2014

TREINANDO A PERCEPÇÃO OLFATIVA - BOM SABER

8 comentários:
Acredito firmemente em nossa capacidade de aprender e expandir possibilidades também quanto à percepção olfativa. Dia desses, ao chegar no colégio de meu filho, barbantes presos ao teto balançavam ao sabor do vento. Na ponta pequenos sacos de tecido, cada qual com uma cor. Apalpei-os e... um sorriso alargou minha face: desenvolvimento da percepção olfativa. Sim, meus caros, a Professora estava a fazer uma experiência com cheiros. Saquinhos com cravo, canela, gengibre e outros tantos...

Experiência que nós, apaixonados por perfumes, podemos viver dioturnamente. O perfumista Jean Paul Guerlain  afirmou que o profissional do olfato precisa treinar, também, sua memória de cheiros  aproveitando todas as emoções olfativas que a vida lhe traz.
nariz cheirando flor

Cheiro.
Cheiro muito e sempre.
Livros novos e livros antigos.  Frutas, sementes e  cascas. Os espaços da cidade. Meus filhos, as comidas que degusto. Vinhos. Amaciantes. Temperos. Cheiro.

Mas qual é a maior dificuldade? 
Memorizar estas experiências olfativas.

Se em primeiro lugar precisamos viver o cheirar, o segundo passo é favorecer a memorização disso, por isso escrevo os cheiros.

Mas... continua difícil, não é mesmo?
Pense comigo: nossas conversas sobre perfumes sempre fazem uso de expressões originalmente nascidas em outros sentidos. É um tal de cheiro macio, áspero ou cortante; e o que dizer do cheiro que dá água na boca? Cheiro amargo? Difícil! Piora ainda quando escrevo: cheiro verde! E o cheiro redondo? Como é isso? Existirá o quadrado? Ainda não conheci, e você?

Se não temos expressões específicas, que assim seja: vamos escrever os cheiros pedindo emprestadas as palavras dos outros sentidos! 

vintage book
    

Contribuindo com o nosso Bom Saber de hoje, o gostoso texto de pesquisadores do SIRC - Oxford pode ainda nos ajudar nessa busca pela evolução da percepção olfativa:

A percepção do olfato não consiste apenas da sensação dos odores em si, mas das experiências e emoções associadas a essas sensações. Cheiros podem evocar fortes reações emocionais. Nas pesquisas sobre reações aos odores, as respostas mostram que muitos dos nossos gostos e desgostos olfativos são puramente baseados em associações emocionais.

A associação de fragrância e emoção não é uma invenção dos poetas ou fabricantes de perfumes. Os nossos receptores olfativos estão diretamente ligados ao sistema límbico, a parte mais antiga e primitiva do cérebro, que é pensado para ser a sede da emoção. 

Como guardar o cheiro?
Identificando as associações emocionais que eles evocam, as reações que eles nos provocam.

Anotar tudo o que o cheiro provoca  sem se preocupar com o que vai brotar, pois é relação íntima do que rescende com as memórias das experiências de vida. Daí que poderão vir: repulsa, desejo, conforto, excitação, languidez, agitação, saciedade, fome, saudade e toda riqueza infinda de reações humanas.

mulher cheirando perufme

E  no que tenho chamado de Diário das percepções olfativas podemos conhecer nossos estilos, as notas que gostamos, os efeitos dos cheiros. Nós ficamos por aqui, mas os perfumistas seguem adiante.

Eles cheiram, escrevem e traduzem em fórmulas, que constroem notas, que se transformam em acordes e que viram.......nossos amados perfumes.

Cheirar. Transformar em palavras. Prestar atenção nas reações que o cheiro provoca: lembranças, emoções, vontades...Escrever.

O que mais você pode me dizer para ajudar a melhorarmos a nossa percepção olfativa? Compartilhe a sua experiência! 

Abraços perfumados

Veja também
Pin It button on image hover